Bafômetro, pinguços e a lei mucho tolerante

Outra vez a fonte é o Nassif. Agora, para trazer uma análise do Procurador da República, Vladimir Aras, sobre o direito (???) que se dá aos motoristas chapados brasileiros de não soprar o bafômetro. O texto, muito esclarecedor, mostra que esses beberrões estão a salvo do sopro só por essas bandas. Nos Estados Unidos e Inglaterra, o bicho pega e morde. Não tem pra onde correr. Os dois exemplos citados pelo procurador para dar sustentação ao texto são o senador mineiro Aécio Neves e o Romário, ex-boleiro e atual deputado federal. Ambos, este ano, se recusaram a soltar o bafo quando surpreendidos numa blitze. E se não há teste, não há como provar a presença da “marvada” pinga no sangue. Então, também não há infração.  Chega a ser cômica a lei. E de um despropósito que só o judiciário brasileiro sabe engendrar. Mas o procurador bota ordem no botequim e aponta quem anda, de fato, exagerando na cachaça.

AQUI: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-direito-ao-silencio-e-o-teste-do-bafometro#more

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: