Desabafo à esquerda…

Pensei em refletir mais antes de redigir este post. Pensei, mas abdiquei da idéia. Se o fizesse, tenderia a ser mais moderado e o tema, me parece, não justifica moderação. É preciso falar, e bem alto.

Recebo constantemente e-mails de pessoas que se comprazem em replicar artigos e notas extraídos da grande mídia, a Folha de São Paulo, especialmente, procurando ridicularizar o presidente Lula, retirar dele o mérito pelo país que temos hoje e a projeção internacional, mais do que justificada, que ganhamos por conta deste metalúrgico analfabeto, farofeiro, inculto e nordestino, que é como o consideram.

Como os textos aos quais me refiro são retirados desses jornais, que não engolem Lula nem a pau, porque representam interesses notórios da direita colérica, mesquinha e fradulenta, e, portanto, não os mesmos interesses do presidente e sequer da maioria do povo deste país que ele governa, suspeito que essas pessoas não têm outras fontes de informação. Ou, se as têm, ignoram solemente.

São, via de regra, pessoas com um bom nível cultural, em alguns aspectos até refinadas, de classe média, que apreciam recitais, boa música e que, por essa razão, possivelmente têm capacidade de leitura e interpretação do que lêem. Tudo isso, em tese, pois na prática não é o que demonstram. Possivelmente, incorporam tanto a opinião de suas fontes de informação, que perdem a capacidade de fazer outra coisa a não ser repercutir o que lhes parece verdade acabada, indiscutível. Não tocam, nem de leve, um pé na ciência, na dialética, o que as remeteria à obrigatoriedade de procurar a prova, testar hipóteses, investigar mais a fundo aquilo que, em princípio, pode parecer cristalino.  

A impressão que me deixam, é de vazio, vazio absoluto. Cultuam as aparências, satisfazem-se em perceber o mundo apenas sorrateiramente, evitando a imersão, contato e, principalmente, o que lhes faz mal aos sentidos; ao tato, visão e olfato , prncipalmente. Curiosamente, são todos brancos, alvos.  Fizeram um curso superior sem precisar de cotas, porque tinham pais atentos, zelosos, que proviam seu sustento e os alimentaram bem na infância e na adolescência, permitindo que suportassem facilmente o tranco de quatro, cinco  horas diárias de aula sem que suas barrigas roncassem de fome ou que os vermes escapassem pelo ânus. Não precisaram do “bolsa família” para cuidar dos dentes, vestir, ir ao cinema ou a um teatro. Tiraram férias, viajaram, festejaram aniversários com bolos e muitos amiguinhos reunidos, e, se viviam entediados, era pelo excesso que puderam receber, raramente pela ausência de algo realmente necessário. Viram de perto a pobreza, mas por uma televisão, revistas e jornais que, há décadas, perderam a compostura e nunca se lixaram para o enorme contingente de pobres e desassistidos que este país pariu ao longo de mais de 500 anos de saques, desmandos, ditaduras civis ou militares. 

A democracia que, involuntariamente ajudaram a construir, os assusta, mete medo, acovarda. Faz com que procurem os braços confiáveis de brancos protetores, ilustrados, políticos que definem prosperidade como entreguismo, submissão aos poderosos, ao capital estrangeiro, que têm calafrios só de imaginar um encontro frontal com um trabalhador sem terra, um miserável de rua, um indizoinho infestado de piolhos ou um operário ensinando o que jamais aprenderam e não vão aprender: o verdadeiro sentido de ser de uma Nação.

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Venância  On 28/03/2010 at 5:20 PM

    Li e reli seu post. Ele tem tudo que gostaria de dizer a certas pessoas de barriga cheia e nariz empinado, que não conseguem enxergar a realidade do país.É reconfortante saber que outras pessoas pensam como a gente e, de alguma maneira, continuam a luta de suas trincheiras.
    Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: